Detecção de SARS-CoV-2 em cães e gatos contactantes de tutores positivos no RT-PCR na Cidade de São Paulo

Imagem de Miniatura
Data
2023
Autores
Luz, Suellen Cristina Guedes da
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
UNISA
Resumo
Em dezembro de 2019 foi identificado em Wuhan na China um novo coronavírus, denominado como síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2), capaz de causar a doença corona virus disease 2019 (COVID 19), que se tornou pandêmica em março de 2020. De acordo com a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), em fevereiro de 2020 na China, houve o primeiro relato de um cão infectado com SARS-CoV-2, frente esta situação, viu se a necessidade de mais estudos para investigar a relação do vírus com cães e gatos. Neste trabalho foram realizadas na cidade de São Paulo as coletas de amostras de swabs nasal e orofaríngeo, assim como amostras sanguíneas (submetidas a análise através de Reação em Cadeia da Polimerase com Transcrição Reversa em Tempo Real (RT-qPCR)) de 49 animais, entre eles cães e gatos, de tutores que foram diagnosticados com COVID-19 em até sete dias e, após 15 dias, foi realizada uma segunda coleta de cada animal, totalizando 98 coletas. Dentre os animais participantes da pesquisa, quatro estavam infectados com o SARS-CoV-2, sendo um cão e três gatos. Foram realizadas também anamnese com o tutor, exame físico do animal e acompanhamento após o resultado positivo. Apenas um animal apresentou sinais clínicos, porém não foi possível associá-los à infecção pelo vírus.
Descrição
Palavras-chave
SARS-CoV-2, Covid-19, Cães, Gatos, Animais
Citação
LUZ, Suellen Cristina Guedes da. Detecção de SARS-CoV-2 em cães e gatos contactantes de tutores positivos no RT-PCR na Cidade de São Paulo. 2023. Dissertação (Mestrado em Medicina Veterinária e Bem Estar Animal) — Universidade Santo Amaro, São Paulo, 2023.