Encarceramento precoce de pulmão em paciente atingido por arma de fogo

Imagem de Miniatura
Data
2022
Autores
Cunha, André Henrique Rocha
Macchia, Pedro
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
UNISA
Resumo
INTRODUÇÃO: Há anos que a violência urbana faz parte do cotidiano do cidadão brasileiro corroborando para as sucessivas altas na incidência de ferimentos por armas de fogo (FAF), consequentemente, o sistema de saúde lida com mais pacientes desse espectro. Os mesmos apresentam diversos tipos de evoluções e prognósticos (a depender das características da lesão), sabe-se que região torácica apresenta um alto risco para esse tipo de ferimento, uma vez que abriga órgãos e sistemas vasculares de grande importância sistêmica. O encarceramento precoce de pulmão é uma situação rara, na qual o órgão fica encoberto de diversos líquidos e de origem multifatorial, a qual prejudica sua função fisiológica e assim trazendo diversos sintomas específicos e complicações graves. METODOLOGIA: Trata-se de um relato de caso. Foram analisados os resultados dos exames laboratoriais e os lados disponibilizados no prontuário do paciente. RESULTADOS E DISCUSSÃO: Paciente, 19 anos, masculino foi encaminhado para o pronto-socorro com dois ferimentos torácicos após troca de tiros com força policial. A primeira perfuração torácica observada possuía orifício de entrada do projétil na zona 1 do pescoço e sem orifício de saída promovendo acometimento do corpo vertebral. O segundo apresentava perfuração de entrada dorsal, na região escapular direita no 8° espaço intercostal, com orifício de saída na fúrcula esternal. Neste local observava- se a presença de escape de ar. Foi detectado extenso pneumotórax associado a derrame pleural à direita. Foi indicada uma abordagem cirúrgica por drenagem torácica e toracotomia exploratória para avaliação cardíaca, dos grandes vasos e do pulmão. Havia extensa lesão no lobo superior pulmonar. Observou-se derrame pericárdico e lesão de vértebra torácica com o alojamento de um dos projéteis. Foi realizada pericardiotomia sem lesão. Além disso, foi realizada ligadura dos vasos e rafia do pulmão, drenagem do pericárdio e cervicotomia exploradora com drenagem da região cervical.Após três dias da entrada ao hospital, o paciente manteve o derrame pleural à direita, com dreno sem escape aéreo e débito continuo de 50 ml/24 horas. O paciente não era colaborativo e se recusava a realizar fisioterapia respiratória e motora. No sexto dia de internação o paciente apresentava saturação de 80% com sinais de atelectasia, desta maneira, foi submetido a uma broncoscopia, sendo feita a retirada de secreção e resíduos hemáticos de brônquios. Paciente evoluiu com dessaturação (76%), taquicardia, taquipneia e broncoespasmos após o exame. Foi conduzido para a UTI onde se realizou monitorização contínua, vigilância respiratória e hemodinâmica. Nos dias subsequentes o paciente se encontrava hemodinamicamente estável, embora com manutenção do derrame pleural. No décimo nono dia a equipe de cirurgia torácica diagnosticou encarceramento pulmonar de evolução precoce e a conduta escolhida foi a realização de toracoscopia com decorticação pulmonar e drenagem pleural, sendo mantido os drenos previamente alocados nas regiões anterior e posterior. CONCLUSÃO: Após a realização dos procedimentos foi recomendado ao paciente que colaborasse para a apropriada recuperação e que realizasse a fisioterapia com exercícios respiratórios e motores, acrescida de utilização de RESPIRON. Desta forma, manteve-se estável e sem outras complicações até o dia da alta, no vigésimo quinto dia de internação.
Descrição
Palavras-chave
Ferimento por Arma de Fogo, Encarceramento Pulmonar, Toracotomia
Citação
CUNHA, André Henrique Rocha; MACCHIA, Pedro. Encarceramento precoce de pulmão em paciente atingido por arma de fogo. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Medicina) - Universidade Santo Amaro, São Paulo, 2022.
Coleções