Impactos das ações extensionistas na formação do graduando da área da saúde

Imagem de Miniatura
Data
2017
Autores
Kim, Maísa Namba
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Editor
UNISA
Resumo
Introdução: no Brasil o ensino superior surgiu tardiamente. Visto que as universidades não evoluíam suas estruturas para um modelo de formação estruturado e articulado, o governo o fez por meio legal, implantando a Lei de Diretrizes e Bases da educação (LDB). Legislada pela Constituição de 1988, a LDB incorporou aos estatutos e regimentos das Instituições de ensino superior o princípio de indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão. Considerada um dos pilares do ensino superior, a extensão desempenha um papel relevante na formação de profissionais. Contudo, são escassos os trabalhos que quantifiquem o impacto das atividades de extensão no processo de desenvolvimento na formação. Objetivo: quantificar e identificar o impacto das ações extensionistas na formação profissional dos graduandos dos cursos da área de saúde. Método: pesquisa de campo exploratória, retrospectiva e quantitativa. Realizada na Universidade Santo Amaro (UNISA) após aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa. A amostragem foi composta por graduandos dos cursos da área de saúde, dividida em dois grupos, Grupo Não Extensionistas (GNExt n= 50) e Grupo Extensionistas (GExt n= 50), sendo o GExt subdivididos em grupos de alunos que reportaram melhora (me) e grupo de alunos que relataram manutenção (sm) no rendimento acadêmico. Para o GNExt e GExt, registrou-se dados referente ao perfil acadêmico e sócio demográfico. Sobre o GNExt questionou-se sobre a não adesão às atividades de extensão. Quanto ao GExt aplicou-se um questionário referente ao aproveitamento acadêmico e a avaliação quantitativa do rendimento acadêmico nos diversos domínios (conhecimento, habilidades, atitudes, valores e aspectos éticos); e a descrição das contribuições da extensão no processo de formação como pessoa e profissional. Os resultados das variáveis de comparação dos subgrupos foram submetidos ao teste t de Student, considerando diferenças estatisticamente significantes quando p<0,05. Resultados: Na caracterização do GExt e GNExt, apontou-se maior número de alunos do sexo feminino, solteiras e sem filhos. No GExt constatou-se alunos mais jovens e trabalhadores, contrapondo-se com a justificativa do GNExt, alegando o trabalho ser o principal motivo da não adesão às ações extensionistas. Certificou-se que a maioria dos alunos do GExt reportaram melhora no aproveitamento acadêmico. Constatou-se que em todos os domínios, as notas médias atribuídas pelo grupo que reportou melhora foram significantemente maior em relação ao grupo que relatou manutenção do rendimento acadêmico. Alunos extensionistas mencionaram que as ações contribuíram no desenvolvimento do relacionamento com a equipe e com o público; bem como na capacitação para identificação das necessidades individuais e coletivas; e conscientização e reflexão sobre o papel individual na transformação social. Conclusão: constatou-se que o programa de extensão da Universidade Santo Amaro impactou positivamente no aproveitamento acadêmico dos estudantes extensionistas, evidenciadas pela afirmação na melhora do rendimento acadêmico, nas notas médias altas atribuídas pelos alunos nos questionamentos quantitativos dos diversos domínios e na descrição da percepção positiva dos alunos sobre as contribuições efetivas no seu processo e percurso formativo como pessoa e profissional.
Descrição
Palavras-chave
Ensino superior, Universidade, Extensão
Citação
KIM, M. N. Impactos das ações extensionistas na formação do graduando da área da saúde. 2017. Dissertação (Mestrado em Ciências da Saúde) — Universidade Santo Amaro, São Paulo, 2017