DSpace Repository

Análise da influência da aplicação tópica do cloreto de estrôncio, na força de remoção de implantes instalados em tíbias de coelhos

Show simple item record

dc.contributor.author Pagioro, Maria Aparecida Constantino Nascimento
dc.date.accessioned 2017-02-08T14:15:34Z
dc.date.available 2017-02-08T14:15:34Z
dc.date.issued 2007
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/123456789/61
dc.description.abstract O objetivo deste trabalho foi avaliar, com o uso de um torquímetro calibrado (TOHNICHI®), a influência da aplicação tópica do cloreto de estrôncio 2M na força de remoção de implantes instalados em tíbias de coelhos. Doze coelhos fêmeas da raça New Zealand, com peso variando entre 3,0 e 3,5 kg, e idade entre 1 O a 11 meses, receberam em suas tíbias dois implantes (3, 75mm x 10,0mm). Os implantes foram instalados com o auxílio de um torquímetro, aplicando-se força de torque inicial de 20 N. Foram realizadas 12 cirurgias e instalados 24 implantes. O experimento ficou dividido em 2 grupos. Grupo A: 6 animais e 12 implantes removidos aos 28 dias. Grupo B: 6 animais e 12 implantes removidos aos 56 dias. Cada um dos coelhos recebeu 2 implantes, e em um dos alvéolos cirúrgicos foi aplicado cloreto de estrôncio a 2M (gel) antes da sua instalação, e no alvéolo adjacente apenas o implante. Aos 28 e 56 dias os coelhos foram sacrificados, seus implantes retirados, e com o auxílio do torquímetro, as forças de remoções foram registradas e analisadas estatisticamente. Os resultados obtidos foram: Grupo A controle 28 dias: 27,33 ± 4,37 N.cm; Grupo A1 estrôncio 28 dias: 30, 17 ± 6, 18 N .cm; Grupo B controle 56 dias: 26, 17 ± 1, 72 N.cm; Grupo B 1 estrôncio 56 dias: 26,67 ± 2,50 N.cm. Os resultados estatísticos mostraram que no Grupo A (28 dias), os alvéolos que receberam cloreto de estrôncio apresentaram valores maiores de força de remoção dos implantes, comparados com os alvéolos controle; porém no Grupo B (56 dias) não houve diferença estatisticamente significante entre os alvéolos controle e teste. Estes resultados nos levam a acreditar que o cloreto de estrôncio acelerou o processo inicial de regeneração óssea aos 28 dias, porém não houve ação do referido fármaco na interface implante-osso aos 56 dias. pt_BR
dc.language.iso other pt_BR
dc.subject Odontologia. Implantodontia. pt_BR
dc.title Análise da influência da aplicação tópica do cloreto de estrôncio, na força de remoção de implantes instalados em tíbias de coelhos pt_BR
dc.type Other pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account