DSpace Repository

Leptospirose canina no município de Franco da Rocha, SP

Show simple item record

dc.contributor.author Hernandez, Fernanda Aparecida da Silva
dc.date.accessioned 2021-06-03T12:21:08Z
dc.date.available 2021-06-03T12:21:08Z
dc.date.issued 2020-12
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/123456789/609
dc.description.abstract A leptospirose é uma zoonose com distribuição mundial que afeta várias espécies, incluindo animais domésticos, silvestres e os seres humanos. Causada por espiroquetas patogênicas do gênero Leptospira. A doença é endêmica nos países tropicais, mas também ocorre em zonas subtropicais e temperadas e sua ocorrência é favorecida pelas condições geoclimáticas e sociais, que facilitam a transmissão e contribuem para crescente incidência da doença. A leptospirose tem sido reconhecida como um importante problema emergente de saúde pública global e os cães também podem desempenhar um papel importante na manutenção das leptospiras no ambiente urbano e na sua transmissão aos seres humanos devido ao contato próximo com estes. Os cães errantes e os cães de abrigo são considerados os mais suscetíveis à infecção por leptospiras devido a um maior grau de exposição ambiental ao agente/patógeno. Este projeto tem como objetivo realizar um estudo sobre a leptospirose canina no município de Franco da Rocha, SP por meio de um levantamento sorológico e do isolamento de leptospiras e para isso, foram coletadas 207 amostras de sangue e seis amostras de urina de cães errantes, comunitários e de abrigo do município. Foram sororreagentes 36 do total de 207 cães (17,39%) para pelo menos um sorovar testado, com títulos variando de 100 a 12800. Seis cães (16,66%) foram sororreativos com títulos ≥ 800 e 4 cães (11,11%) apresentaram reações cruzadas para até oito sorovares diferentes. O sorovar mais frequente foi o Canicola com 12 amostras (33,33%), seguidos do sorovar Butembo com 9 amostras (25,0%) e Australis com 3 amostras (8,33%), os sorovares Hardjo, Icterohaemorrhagiae, Pomona e Sentot foram sororreagentes com duas amostras cada (5,55%) e os sorovares Castellonis, Hebdomadis e Hardjobovis apresentaram uma amostra reagente (2,17%). No entanto o título mais alto foi detectado contra o sorovar Butembo. Os cultivos bacterianos de leptospiras das amostras de urinas coletadas foram negativos. Os resultados sugerem que a população canina pode desempenhar um papel importante na infecção por leptospiras para diversas espécies nesta região. pt_BR
dc.subject Leptospirose canina, soroaglutinação microscópica, isolamento. pt_BR
dc.title Leptospirose canina no município de Franco da Rocha, SP pt_BR
dc.type Working Paper pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account