DSpace Repository

Avaliação tridimensional da via aérea superior após cirurgia ortognática em pacientes de classe II e classe III de angle

Show simple item record

dc.contributor.author Domingues, Nilton Rodrigues Alves Peres
dc.date.accessioned 2021-03-16T13:17:00Z
dc.date.available 2021-03-16T13:17:00Z
dc.date.issued 2021-01
dc.identifier.uri http://hdl.handle.net/123456789/587
dc.description.abstract O tratamento de mal oclusão do tipo II e III, por vezes exige a realização de cirurgia ortognática. Tal terapêutica é capaz de corrigir deficiências dento-esqueléticas, restabelecer a harmonia facial e a oclusão, mas também capazes de influenciar diretamente a anatomia das vias aéreas superiores (VAS). O objetivo deste estudo observacional tipo coorte foi avaliar tridimensionalmente (3D) o volume e área mínima axial das VAS após 30 dias dos procedimentos cirúrgicos ortognáticos realizados em maxila, mandíbula e mento em pacientes com mal oclusão tipo II e III. Por meio de análise das tomografias computadorizadas (TC) de pacientes submetidos à cirurgia bi maxilar com planejamento virtual, foram avaliados os momentos pré-operatório (T1) e pós-operatório de até 30 dias (T2), por meio do software Dolphin Imaging®. A amostra foi proveniente da análise dos prontuários clínicos de pacientes submetidos à cirurgia entre os anos de 2017 e 2019. Entre os 50 prontuários analisados, 16 foram excluídos da pesquisa por não preencherem os critérios de elegibilidade, ou por problemas decorrentes na leitura do software. Dos elegíveis, foram realizadas as mensurações de: volume total e área axial mínima da via aérea superior. Como variáveis independentes foram considerados: o tipo de movimento cirúrgico realizado, o gênero e o tipo de deformidade, respeitando os critérios de exclusão definidos. Os pacientes submetidos à cirurgia ortognática para classe II apresentaram diferença significativa após a execução da terapêutica cirúrgica com aumento dos valores em área total e área mínima axial, diferente dos pacientes classe III, os quais não apresentaram diferença significativa (p£0.05). Estudos 3D são importantes para confirmar os resultados observados por meio de ferramentas bidimensionais (2D), uma vez que faltam evidências sobre as alterações de volume das VAS após a cirurgia ortognática. Os pacientes de classe II tiveram um aumento significativo do volume total da VAS, diferente dos de classe III que não apresentam mudança significativa, apesar do movimento de recuo mandibular. pt_BR
dc.subject Cirurgia Ortognática pt_BR
dc.subject Obstrução de vias respiratórias pt_BR
dc.subject Assimetria facial pt_BR
dc.title Avaliação tridimensional da via aérea superior após cirurgia ortognática em pacientes de classe II e classe III de angle pt_BR
dc.type Working Paper pt_BR


Files in this item

This item appears in the following Collection(s)

Show simple item record

Search DSpace


Browse

My Account